Estátuas de Sekhmet são descobertas no templo de Amenhotep III - Egito Antigo

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Estátuas de Sekhmet são descobertas no templo de Amenhotep III

Estátuas de Sekhmet são descobertas no templo de Amenhotep III, em Luxor
Pesquisadores egípcios e europeus descobriram uma coleção de estátuas de granito preto representando a deusa egípcia Sekhmet durante uma escavação de rotina no templo funerário do rei Amenhotep III, em Kom Al-Hittan na margem oeste de Luxor.

As estátuas representam a deusa Sekhmet em sua forma habitual, sentada no trono, com um corpo humano e cabeça de leoa.

"Esta não é a primeira vez que estátuas da deusa leoa foram desenterradas em Kom Al-Hittan", disse Mohamed Ibrahim, ministro de Estado para Antiguidades, acrescentando que a missão egípcio-europeia liderada pelo egiptólogo alemão Hörig Sourouzian já haviam desenterrado 64 estátuas de Sekhment de diferentes formas e tamanhos.

Ibrahim explicou que um número tão grande destaca o importante papel da deusa durante os reinados da 18ª Dinastia e em especial do rei Amenhotep III, pai do rei monoteísta Akhenaton e avô de Tutancamon.

Os egípcios antigos acreditavam que Sekhmet era uma deusa protetora como também a deusa da guerra e da destruição. "Alguns egiptólogos", ressaltou Ibrahim, "acreditam que o rei Amenhotep construiu um grande número de estátuas da deusa Sekhmet na tentativa de curá-lo de uma doença específica que ele sofreu durante o seu reinado.

Mansour Boreik, supervisor de antiguidades de Luxor, disse que as estátuas estão muito bem preservadas e cada uma tem dois metros de altura. Ele continuou dizendo que as estátuas recém-descobertas provam que o templo funerário de Amenhotep III foi uma vez cheio de estátuas de Sekhmet de diferentes tamanhos e formas, semelhantes ao seu templo na margem leste de Luxor, conhecido como o templo da deusa Mut. Este templo serviu como um símbolo de estabilidade e prosperidade durante o reinado de Amenhotep III.

Dez anos atrás, os arqueólogos desenterraram um grande número de estátuas de Amenhotep III e sua esposa, a rainha Tiye, mas também desenterram algumas partes das paredes do templo.

"O trabalho que estamos fazendo aqui não é apenas sobre o avanço do conhecimento histórico, mas também sobre como salvar os últimos remanescentes de um templo que já foi muito prestigiado, é lamentável que tenha sido tão danificado", disse Sourouzian.

As equipes pretendem produzir uma reconstrução virtual do templo usando os mais recentes programas de computador, ela acrescentou, dizendo que esta reconstrução irá mostrar a posição original de cada peça que sobreviveu dentro do templo original.
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal