Anedjib - Faraó do Egito Antigo - Egito Antigo

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Anedjib - Faraó do Egito Antigo

Anedjib ou Adjib foi um faraó da I dinastia egípcia, habitualmente considerado como quinto soberano desta dinastia. Anedjib é o Nome de Hórus do monarca e significa "valente de coração".

Maneton atribui-lhe um reinado de vinte e seis anos, enquanto o Canon Real de Turim credita a ele um reinado implausível de 74 anos. Como acontece com muitos outros soberanos egípcios, não é clara a cronologia do seu reinado. De acordo com o egiptólogo alemão Jürgen von Beckerath, Anedjib teria reinado entre 2867 e 2861 a.C.; Jaromir Malek situa o seu reinado entre 2832 e 2826 a.C.
Faraó do Egito

Impressão em argila de selo com o nome de Anedjib (Museu Britânico)
Reinado
2995 a.C. a 2969 a.C.
Predecessor
Sucessor
Título Real
NomeMerytneith
Nome de Hórus
Valente de Coração
Esposa(s)
Betrest
Pai
Den (?)
Tumba
Umm el-Qa'ab, Abidos
Monumentos
Tumba
Fontes do nome

Anedjib é bem atestado em registros arqueológicos. Seu nome aparece em inscrições em embarcações feitas de xisto, alabastro, brechas e mármore. Seu nome também é preservado em etiquetas de marfim e selos de jarro de barro. Objetos com o nome de Anedjib e títulos vêm de Abidos e Saqqara.

Família  usar o Nome das Duas Damas e o Nome de Rei do Alto e Baixo Egito na sua titulatura real.

Provavelmente foi casado com Beterest, que tinha ligações familiares com os reis mênfitas. Na Pedra de Palermo, ela é descrita como a mãe do sucessor de Anedjib, o rei Semerkheteres.

Reinado

Anedjib assumiu-se como rei do Alto e do Baixo Egito, usando a dupla coroa (pschent), mas acredita-se que não teria conseguido controlar as rebeliões que ocorreram nesta última região.

Selos impressos em argila gravam a fundação de uma nova fortaleza Hor nebw-khet ("Hórus, o ouro da comunidade divina") e da residência real seba-khet ("Hórus, a estrela da comunidade divina"). Inscrições de vasos de pedra mostram que durante o reinado de Anedjib um número invulgarmente elevado de estátuas de culto foram feitas para o rei. Pelo menos seis objetos mostram o que representa estátuas de pé representando o rei com sua insígnia real.

Tumba

O seu túmulo é o número 10 de Abidos, um dos menores túmulos reais construídos neste local (16,4m x 9,0m), com câmara funerária feita em madeira; em compensação, as mastabas construídas durante o seu reinado são reveladoras de um certo requinte, como por exemplo a de Nebitka, provavelmente do seu vizir. Esta mastaba é considerada como antecessora da denominada pirâmide em degraus de Djoser pode estar relacionado com uma usurpação do poder por parte de Semerkhet ou com a hipótese do próprio Anedjib ter sido um usurpador, cuja memória se pretendia apagar.
Precedido por
Faraós do EgitoSucedido por
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal