Zahi Hawass - Egito Antigo

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Zahi Hawass

Zahi Hawass, egiptólogo
Zahi Hawass é um arqueólogo e egiptólogo nascido em Al-Ubaydiyah, perto de Damietta no Egito, no dia 28 de Maio de 1947.

Adquiriu grande popularidade mundial em anos recentes graças às suas participações em inúmeros documentários que abordam a civilização do egípcia. Em 2006 foi nomeado pela revista "TIME" como uma das cem pessoas mais influentes do planeta.

Desempenhava desde o ano de 2002 o cargo de secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades do Egito. Entre os seus últimos projetos encontram-se a abertura de novos museus no país, bem como a restauração das pirâmides de Gizé.

Advindo de família humilde, o seu pai era agricultor. Formou-se em Arqueologia Grega e Romana no ano de 1967 na cidade de Alexandria. Fez estudos de pós-graduação na Universidade da Pensilvânia na Filadélfia -Estados Unidos, na área da Egiptologia e Arqueologia sírio-palestina, tendo obtido o grau de mestre no ano de 1983. Em 1987 doutorou-se em Egiptologia pela mesma universidade.

Entre os anos de 1987 e 1997 foi diretor do complexo de pirâmides de Gizé e Saqqara.

Personalidade não alheia à polêmica, tem como bandeira o regresso de antiguidades egípcias ao seu país, como o famoso busto da rainha Nefertiti, atualmente em Berlim, ou a Pedra de Roseta, que se encontra no Museu Britânico em Londres.

É um opositor de teorias que afirmam que as pirâmides teriam sido construídas por extraterrestres, tendo criado um neologismo para designar os adeptos de tais ideias: "piramidiotas".

Em 17 de Julho de 2011, foi demitido do cargo de ministro de Antiguidades do Egito, Zahi Hawass, então com 64 anos, após meses de pressão de críticos que o acusavam de ser próximo demais do regime de deposto de Housni Mubarak.
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal